Olá pescadores de plantão agradeço por passarem aqui no meu Lago dos Sonhos e peço pra que, se possível, vcs deixem comentários sobre os textos, afinal sem eles naum terá como eu saber se estão ou não gostando do blog.


Também se puderem, deixem seu e-mail para q eu possa agradecer os comentários e a visita.


Bjus e espero que gostem


ASS: Pescador de Sonhos



segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Uma jornada para a vida - Parte II: A primeira Prova

Vinte e cinco luas se passaram, e sempre para o norte, nossos desorientados amigos andavam na direção que Celeste havia apontado, andavam na direção de suas vidas.
_ Vamos parar para descansar pessoal, cinco dias andando sem descanso pode matar qualquer um, até um meio morto como nós_ disse Clarisse caindo ofegante no chão.
Nisso Roni retruca:
_Quanto mais cedo acharmos e concluirmos as provas, mais cedo estaremos em casa.
_ Mas se elas forem muito difíceis? Nunca teremos chances_ Marcos mostra imponentemente seu gênio pessimista.
_ Nós já estamos tão desanimados de cansaço, e agora você quer nos desanimar mais ainda?_ Fala Helena também já quase caindo.
_ Oh pessoal! Por um a lado o Marcos ta certo, como enfrentaríamos uma prova sendo que todos nós estamos quase morrendo?_ fala a vós da sabedoria do grupo, e essa vem de John impondo seu ar de líder acima do comportamento de todos.
Os cinco acham uma floresta densa e profunda, porém seu verde transmitia toda a tranqüilidade que eles haviam sentido na presença de Celeste, adentraram na mata fechada e logo acharam um lago cristalino onde iriam acampar naquela noite.
Repartiram as tarefas para ajudar no treinamento com suas armas:
Helena tinha que pescar os peixes, isso foi fácil para ela, era só fazer com que, telepaticamente, eles entrassem na rede; Marcos teria que montar o acampamento, com a sua Pulseira fez uma rocha gigante sair do interior da terra e rapidamente fez um sulco fazendo uma espécie de caverna onde os cinco iriam passar a noite, John ficou com o trabalho de pegar a lenha e do mesmo jeito que Helena fez, ele atraiu os galhos das árvores para o acampamento; os outros dois que sobraram tinham um trabalho fácil, porém não sem importância: um teria que ascender a fogueira e assegurar que ela não apagasse, esse era o trabalho do Roni; e por fim Clarisse tinha que assegurar que o tempo não mudasse uma chuva ou algo parecido iria acabar com o descanso dos cinco.
Já à noite, estavam todos reunidos ao lado da caverna esculpida pelas Pulseiras de Marcos, as luas estavam lentamente circundando todo aquele mundo tenebroso, até que quando uma delas se alinhou perpendicularmente à fogueira, ouviram a doce voz de Celeste:
_ Boa noite meus jovens, chegou a hora da primeira prova e a dica é a seguinte: “Encontrem o bem que está dentro do mal e o mal dentro do bem, continuem na floresta, este caminho lhes convém”
_ Celeste onde você está? Explique esta dica, não entendemos nada do que disse_ Marcos diz se levantando pelo susto que tomara com a voz de Celeste.
_Como vocês já devem bem saber todas as dicas serão enigmas ou pensam que vidas são baratas, e como já havia dito “vocês não me verão, ou só se eu quiser que me vejam”.
_ Mas Celeste, de só uma ajudinha para nós_ Marcos continua suplicando.
_ Não posso fazer mais nada, só desejar sorte para vocês.
As palavras de Celeste foram impregnando todo o pensamento dos jovens, tinham que rapidamente resolver o enigma da prova, suas vidas estavam em jogo.
Passaram a noite ainda na floresta, esta era a pista mais clara dentre as outras que Celeste deu naquela noite.
Quando o Astro Rei mostrou a sua face eles acordaram, levantaram acampamento e seguiram para o norte adentrando-se mais ainda na floresta densa.
Quando enfim chegaram numa clareira ouviram um som de súplica vindo do lado contrário a seus caminhos:
_ Vocês ouviram isso?_ Marcos diz medrosamente olhando para trás.
_ Alguém deve estar em perigo, devemos voltar para ajudar_ Helena diz querendo prestar socorro.
Roni, como sempre discordando das idéias de compaixão, retruca:
_ Não podemos voltar, não se lembram “sigam sempre para o norte”, aliás, acabamos de vir de lá com certeza não há ninguém precisando de ajuda senão nós veríamos antes não acham?
Após o discurso egocêntrico de Roni eles ouvem novamente um som e esse de uma fera selvagem prestes a atacar. Sem pensar duas vezes os jovens guerreiros voltam e encontram uma pobre garotinha sendo encurralada por um leão enorme.
_ Socorro! Me ajudem! Este Carnotoque quer me devorar_ diz a Garota a dois segundos de ser o lanche matinal de um Carnotoque.
_ Helena tome esse recipiente, ele está cheio de água_ diz Roni bolando um plano para afugentar a fera.
_ Ta certo, já entendi_ Helena pega o tal recipiente e o abre fazendo uma bola de água bem a sua frente.
_ Ainda tem pouca água! Marcos e John vão lá e distraíam aquele gato gigante, e Clarisse crie uma chuva_ ainda Roni concretizando seu plano.
Enquanto Marcos e John tentavam distrair o Carnotoque, Clarisse tentava criar uma chuva para que Helena tivesse mais água para o plano de Roni. Quando enfim a quantidade de água estava pronta ele usou o poder da sua Coroa e fez com que a bola de água, que Helena fez com a ajuda de Clarisse, se transformasse em chama crepitante e com ela fez o Carnotoque fugir.
_ Muito obrigado amigos, meu nome é Jasmim, estou presa a este mundo desde quando a minha quase morte foi decretada, com certeza são os cinco novos quase mortos de quem eu ouvi falar, não são?
_ Sim, mas como você sabe?_ pergunta Roni interessando-se pela garota.
_ Notícias ruins voam tanto na Terra como aqui.
_ Notícia ruim? Nós salvamos você e ainda nos chama de notícia ruim?_ Marcos, indignado com o mau agradecimento de Jasmim, retruca.
_ Nunca a vinda de alguém para esse mundo é uma notícia boa, só a partida recebe essa denominação, porém notícias boas são difíceis ou até impossíveis de acontecer.
_ Como assim? Quer dizer que sair desse mundo é praticamente impossível?_ pergunta Clarisse.
_ Dos poucos quase mortos que passaram pelas provas metade não passou nem da primeira, um terço não terminou as provas no tempo determinado e só os restantes conseguiram chegar até a ultima prova, pois todos os que tinham chances partiam após acharem a solução da segunda.
_ Eu escutei bem ou você disse que tem um tempo determinado para concluir as provas?_ retruca Helena.
_ É verdade, Celeste não disse nada sobre limite de tempo_ John confirma assustadoramente.
_ Isso você só descobre depois que o tempo passa, pelas minhas contas são trezentos e sessenta e cinco luas de tempo, levando em conta que a cada noite cinco luas cruzam o céu daqui, vocês tem em torno de setenta e três dias terrestres para concluir as três provas, sendo assim, vinte e quatro dias por prova.
_ Então desses setenta e três dias já usamos cinco, portanto ainda temos tempo de sobra para concluir as três provas sendo que já temos uma dica forte em relação a primeira_ John fala vangloriosamente.
_ Não é bem assim, apesar de terem a pista de que a primeira prova acontecerá nessa floresta, vocês terão um terreno de quatrocentos quilômetros quadrados cheios de feras como Carnotoques e outras para poder achar o bem que está no mal e o mal que está no bem_ Jasmim diz meio que jogando praga nos cinco jovens.
_ Espera aí, como você sabe da dica que a Celeste nos deu?_ Marcos mostra que o pessimismo não é o que entrava em vigor na sua mente.
_ Vejo que, por distração minha, vocês descobriram a minha identidade_ nestas palavras Jasmim sobe aos céus e todo o verde da floresta se tornou negro, vários Carnotoques rodaram os cinco e Jasmim desce num formato horrendo dizendo_ Meu nome é Serena, sou uma fada decaída e sempre que um quase morto começa a habitar o Mundo das Cinco Luas eu fico encarregada de atrapalha-los para que fiquem aqui e sejam servos de Dom Mortis.
_ O mal que está no bem? Nós já achamos a segunda parte da prova, mas só falta o bem que está no mal_ pela primeira vez Marco diz algo não desanimador.
_ Mas quem é o mal, quem nós julgamos como o malvado nessa prova?
_ O Carnotoque, com certeza um deles tem o bem dentro de si.
Quando Clarisse disse isso um dos monstros saiu em disparada na direção dos cinco, todos já estavam preparados para atacar, porém quando a criatura estava quase perto dos jovens deu um pulo indo diretamente até Serena que caiu. E Nisso toda a floresta se liberta do encantamento dela e os Carnotoques se transformam em vários animaizinhos que habitavam a floresta antes da Jornada começar.
Com todo o encantamento acabado, Serena se levanta e diz para os nossos guerreiros:
_ Desta vez vocês escaparam, mas prometo que nas próximas duas provas irão padecer em minhas mãos.
Serena some na imensidão do céu e nossos cinco amigos continuam a Jornada sempre indo para no norte.

Um comentário:

Anônimo disse...

Uhm... Esta história está ficando interessante! Será que meu nobre narrador permitirá que os jovens cumpram todas as provas, fazendo prevalecer o happy end? rsrs Estou curiosa...
Beijos!

Meu lobinho estah com fome de um bife para ele.