Olá pescadores de plantão agradeço por passarem aqui no meu Lago dos Sonhos e peço pra que, se possível, vcs deixem comentários sobre os textos, afinal sem eles naum terá como eu saber se estão ou não gostando do blog.


Também se puderem, deixem seu e-mail para q eu possa agradecer os comentários e a visita.


Bjus e espero que gostem


ASS: Pescador de Sonhos



quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Uma Jornada Para Vida - Parte V: A Descoberta

A despedida foi difícil, acordar e ver um lugar vazio era difícil, mas a Jornada continuava e mesmo com o peso da lembrança e da saudade teriam que concretizar a promessa feita no vilarejo, teriam que concluir todas as três provas. Agora num intervalo de tempo muito pequeno em comparação com o tempo que tinham antes: das trezentos e sessenta e cinco luas só tinham mais cem para completar a Jornada, vinte dias terrenos para receber o enigma da prova e concluí-la.
Passaram por diversos apuros e só pensavam em acabar a Jornada. Roni foi burro por ter escolhido sair desta Dimensão, mesmo conseguindo a vida, Dom Mortis iria fundir as duas dimensões se alguém não o derrotasse.
_ Droga! Cadê Celeste com a terceira prova?_ disse Clarisse preocupada com o tempo que ainda se restavam.
_ Calma mana, nós vamos conseguir_ disse Marcos tentando animar sua meio-irmã.
_ Vamos continuar, por todos que sofrem neste mundo_ disse John querendo por um fim na tirania de Dom Mortis.
_ Vamos continuar pelas nossas vidas e também por Roni que acabou desistindo da Jornada, mas mesmo assim continua sendo nosso amigo.
Quando Helena pronunciou o nome de Roni aquelas palavras ecoaram e cortaram as Nuvens de Pandora, nisso a imagem fosca e transparente do amigo querido aparece no ar dizendo em cortes.
_ Armadil... Cuida...
Logo a imagem desaparece e a de Celeste aparece, só que mais forte e nítida que a do Roni:
_ Meus quatro quase mortos, o dia do término da Jornada está próximo, seja ele bom ou mal para vocês_ Celeste faz uma breve pausa e logo volta a falar_ na terceira prova não haverá dilemas nem enigmas, só uma coisa irei falar, concluir a prova não será tarefa fácil o soberano do Mundo das Cinco Luas vocês terão que matar, onde e quando iram o encontrar, vão saber quando enfim a chuva chegar.
_ Como não haverá enigmas? O que é esse negócio de chuva?_ Helena diz cheia de dúvidas na sua cabeça.
_ Do mesmo modo que resolvemos as outras provas vamos resolver esta, a única dúvida que eu tenho é sobre o Roni que apareceu para nós todo machucado e não conseguia dizer uma palavra corretamente_ fala John preocupado com o estado de seu amigo.
_ Roni escolheu partir antes do término da Jornada, com certeza Serena está tentando pregar uma peça em vocês. Tchau e nos veremos quando concluírem a última prova_ nestas palavras como sempre Celeste some como uma névoa sendo soprada pelo vento.
Após a fada ter partido decidiram continuar a seguir as Nuvens de Pandora que só trouxeram uma chuva cinqüenta luas depois da última aparição de Celeste e com ela veio a seguinte notícia:
_ Todos os habitantes do Mundo das Cinco Luas estão sendo convocados para pagar o imposto de vida no Castelo da Neblina Negra.
Os quatro já sabiam que era lá onde Dom Mortis estaria e foram ao seu encontro para concluir a prova e em fim a Jornada.
Quinze luas depois a chuva descobriram onde ficava o tal castelo e passaram rapidamente pelos monstros que usavam a neblina da construção para atacar os que tentassem entrar sem o conhecimento do tirano e quando chegaram à sala do trono viram aquele ser que causava o terror naquele mundo e ao seu lado estava sua fiel serva: Serena.
_ Vejo que se atreveram a tentar concluir essa prova, espero que não pensem que vão conseguir. Desta vez eu nem vou tentar atrapalha-los, nunca conseguirão matar Dom Mortis_ disse Serena vangloriosamente sobre os nossos guerreiros.
_ Quieta fada inútil, se é a mim quem eles querem, sou eu quem deveria responder. Mas tenho que concordar que é grande o atrevimento desses quatro.
_ Sim nós nos atrevemos para salvar as duas dimensões_ disse John elevando a coragem do seu grupo.
_ Tolos! Pensam que sabem alguma coisa sobre esse mundo? Aquilo que meus servos falaram, sem meu conhecimento, não é nem a metade do que deveriam saber_ Dom Mortis diz com seu sorriso flamejante impregnando o ar com cheiro de enxofre_ quem entra no Mundo das Cinco Luas entra para nunca mais sair, eu adoro ver o desanimo tomar conta da face daqueles que não passam das provas e gosto ainda mais daqueles que olham para dentro do portal dimensional e vêem a sua Dimensão Natal, mas ao entrar por ele caem no meu calabouço e o melhor de tudo já acorrentados e prontos para começar a sessão de tortura.
_ O que? Então Roni...?_ Helena diz com uma cara de horror não terminando nem a sua fala.
_ Exatamente minha jovem, confesso que fiquei surpreso com a ligação forte que vocês têm, criando até uma espécie de dialogo telepático entre os cinco. Sorte que minha fada decaída logo criava uma interferência entre as suas conversas não é mesmo Serena, melhor dizendo, Celeste.
Quando Dom Mortis diz isso, Serena deixa a sua forma horrenda e assume a bela forma de Celeste que diz:
_ Olá meus jovens guerreiros_ após o deboche, solta uma breve gargalhada.
_ Celeste?! _ Diz Marcos indignado por ter sido enganado durante toda a Jornada.
_ Acho que vocês estão começando a entender um pouquinho do propósito da Jornada, mas preciso dizer só mais uma coisinha, eu fui o primeiro quase morto que habitou o Mundo das Cinco Luas, do mesmo modo de vocês meu corpo se desgrudou da alma quando eu morri e assim vim para esse mundo. No começo odiei esse lugar, mas com o tempo fui aprendendo os feitiços, as artes mágicas desta dimensão, e quanto mais eu aprendia mais forte eu ficava, assim quando absorvi todo o conhecimento mágico deste universo convenci os habitantes daqui a criar uma espécie de jornada para ajudar quem caísse nesse mundo a voltar para sua Dimensão Natal, todos adoraram a idéia, mas por trás de tudo isso, comecei a roubar a energia vital dos que aqui chegavam, no começo demorava-se para chegar novas almas, porém consegui usar a energia que eu roubava das pessoas e assim pude fazer viagens dimensionais, podendo assim criar ocasiões para uma quase morte, e foi assim que aconteceu com vocês, eu que soltei um dia antes os cintos de segurança daquele brinquedo, e por mim é que vocês estão presos neste mundo_ Dom Mortis faz esse discurso como se tivesse desatado um nó de sua garganta.
_ Ora seu Monstro!_ John sai correndo na direção do Tirano e aponta direto para ele sua Adaga.
_ Vejo que o heroísmo está nas suas veias_ Dom Mortis diz isso apontando o dedo direto para a arma de John, que se esfarela toda como se fosse uma rocha fraca e como ela todas as armas esfarelaram-se, e então continua no seu discurso_ ainda não estão satisfeitos, ainda não estão entendendo, quer que eu desenhe para vocês, desde quando pisaram nesta Dimensão já eram meus servos, todas as suas tentativas de me destruir era em vão, vocês só estavam fazendo um papel de heróis para o meu divertimento, uma pré-apresentação para o espetáculo maior “A Fusão das Duas Dimensões”, aonde a Imaginação e a Realidade irão se coincidir numa perfeita harmonia, mas claro comigo sendo o soberano do novo mundo essa harmonia se quebrará em tristeza e destruição, pena que ainda faltam sete dias ou como eles falam aqui trinta e cinco luas para eu fazer a Cerimônia da Fusão, mesmo a Jornada não existindo tenho que esperar o tempo continuar, porém melhor assim, já que poderei roubar o que resta de vitalidade em vocês, Sombras da Agonia joguem esses ditos heróis no calabouço daquele outro garoto.

Um comentário:

Anônimo disse...

Poxa, em que enrascada vc jogou os personagens, hein? Estou curiosa para saber como irão sair dessa cilada... Se é que vão sair... Nunca sei o que vc está pensando, vc é imprevisível...rsrsrs Mas arranja um final feliz, por favor! rsrsrs Tenho medo de seus finais inesperados... rs
Beijos, e escreve logo esse fim de história! Estou ansiosa para saber o desfecho, jovem escritor!

Meu lobinho estah com fome de um bife para ele.