Olá pescadores de plantão agradeço por passarem aqui no meu Lago dos Sonhos e peço pra que, se possível, vcs deixem comentários sobre os textos, afinal sem eles naum terá como eu saber se estão ou não gostando do blog.


Também se puderem, deixem seu e-mail para q eu possa agradecer os comentários e a visita.


Bjus e espero que gostem


ASS: Pescador de Sonhos



sexta-feira, 25 de julho de 2008

O Acerto de Contas

Tudo estava monótono, na TV os mesmos programas que impediam as horas de passar. Na praça o tormento dos corvos na noite que chorava e a minha cabeça desligada do mundo. De repente, um som quebra o silencio da noite. O telefone toca. Ao mesmo instante levanto, sentindo uma frieza, um arrepio, pois a única pessoa que me ligaria, está morando a um quarteirão deste cortiço, a sete palmos do chão.
Quando atendo a surpresa ouço suspiros pausados pergunto quem é, mas incansavelmente os suspiros penetram na minha mente e ao cair um raio, uma luz invade a sala projetando uma sombra que me faz desligar o telefone.
Toda luz de um relâmpago é momentânea, mas essa impregnou-se em meus pensamentos, atordoando-me e acabei por desmaiar.
Enfim, as horas passam. Uma voz macabra persegue meu subconsciente. Acordo. Encontro rente a porta um estranho fisicamente irreconhecível, porém conheci seu suspiro pausado.
O interrogo com a mesma pergunta feita ao telefone e apenas ouço: Foi Você.
Recuando, eu dizia:
_Quem é você?
_ Aquele que pensava ser o seu melhor amigo_ responde o homem.
_ Não! Não pode ser, meu amigo morreu ontem em um assalto!
_ E por isso quero vingança, vingança por saber no meu ultimo suspiro que você era o mandante da minha morte…
Após a sua fala, a única coisa que vi foi um punhal se aproximando de mim e ofuscando a minha visão.
No susto, acordo. Em pensar que foi tudo um pesadelo. Senti-me aliviado e com a obrigação de visitar meu amigo no túmulo.
Perante o túmulo, minhas memórias de como foi o pesadelo se tornou a coisa mais real da face da terra: o punhal que no sonho me matara chorava sangue cravado no mármore negro daquela sepultura…

Um comentário:

Anônimo disse...

Interessante a narrativa. Quando pensamos que houve o desfecho da história, deparamo-nos com mais um conflito...
Demorou para postar de novo, né jovem escritor?
beijão!

Meu lobinho estah com fome de um bife para ele.